Seguidores

domingo, 22 de fevereiro de 2015

O PROCESSAMENTO DAS MASSAS




Não, essa não é uma postagem sobre macarrão!

Dia desses um amigo me perguntou: “Por que você sente tanto ódio pelo PT?” Perguntou isso baseado no fato, verídico, de que eu reproduzo ou preparo muitas postagens no Facebook sobre as falcatruas e maracutáias petistas.

Eu respondi que não, que eu não odeio o PT. O que sinto é asco mesmo, algo muito pior!

O ódio é baseado em uma ausência de racionalidade na maioria das vezes. Os sentidos ficam travados quando o ser humano está sob o domínio desse sentimento alienante. Ao contrário, eu enxergo, ouço e sinto muito bem, graças a Deus. E sempre procurei estimular meu raciocínio através da educação e da cultura, tudo visando ser uma pessoa crítica, daquelas que não se enganam tão facilmente.

Por isso o asco pelo PT!

 
 

O ruim é que com ele vem uma terrível sensação de inutilidade, sendo que nosso país não tem o hábito de valorizar a crítica. Fico imaginando como se sentem os jornalistas que estão tentando, em vão, mostrar o óbvio, indignados com tudo de errado que esse partido tem feito contra o mesmo povo que nem lê notícias. Esses jornalistas que estão sob intenso fogo do governo, e de seus “intelectualoides” que são contra a liberdade de expressão e a favor da censura. Governo que está usando todo tipo de estratégia baixa para acabar com qualquer grupo de comunicação que ouse discordar de Dilma, Lula ou PT. Aliás, tática já usada com êxito por outros países com governos de mesma linhagem vermelha, como Venezuela, Argentina, Equador e a clássica Cuba.

Tudo me parece muito estranho... Pessoas que dizem lutaram contra a ditadura, contra a censura e a falta de liberdade para raciocinar, esses mesmos atacam a imprensa e quem mais pense diferente deles. Enquanto isso, o povo se aliena e não dá a menor importância para o processo em andamento.

Daí vem a sensação de inutilidade e isolamento... No meu caso deve ser algum tipo de síndrome de minoria! A gente fica se sentindo como a única criança que está gritando do lado de fora de um prédio pegando fogo, enquanto todas as outras estão ainda brincando perigosamente no “play”.

Por isso, ás vezes me dá uma vontade doida de gostar de Luan Santana, de seguir com emoção o BBB, de ver somente os filmes da Globo Filmes, de limpar a casa me sacolejando com a vassoura ao som da Valeska Popozuda... Seria tudo tão mais fácil... Me entregar!

Mas não! Isso seria sim o paraíso para os que desejam massificar o povo, seria aceitar um cabresto e um par de viseiras laterais. Além disso, enquanto houver pedras nos sapatos petistas, eles nunca passearão por uma alameda florida confortavelmente. Se não existem buracos em seus caminhos, que sintam pelo menos as pedras incomodando.

Christian Petrizi

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário